• Qual receita você está procurando?

  • Doce de Mamão – Lembranças com Água na Boca

    Chef Taico

    Receita: Doce de mamão

    Tempo de preparo: 24h | Serve 20 pessoas

     

    Ingredientes:

    • 02 mamões verdes
    • 01 colher de chá de sal
    • 12 cravos da índia
    • 01 a 02 kg de açúcar

     

    Modo de preparo:

    1. Risque o mamão com a ponta da faca e deixe sangrar durante a noite.
    2. Lave e retire as sementes com a ajuda de uma colher.
    3. Corte em fatias longitudinais e retire os defeitos da casca.
    4. Rale o mamão na grossura de sua preferência, cubra com uma mistura de 1 litro de água misturada a uma colher de chá de sal e deixe dessorar por pelo menos 30 minutos. Lave em água abundante e escorra bem.
    5. Ponha metade do açúcar no fundo de uma panela, os cravos e o mamão.
    6. Mexa devagar em fogo alto até murchar.
    7. Adicione o açúcar restante e continue mexendo até estar uma calda grossa e o mamão macio.

    Curso básico de cozinha - clique aqui


    Crônica: No canto do muro

     

    O quintal fazia parte das nossas vidas.

    Parte cimentado e parte terra vermelha recebia os mais variados espécimes animais e vegetais que por ali conviviam e progrediam pacificamente.

    O “Bob” passava o dia acorrentado ao pé de limão para a noite, depois de chacoalhar a courama amarela, correr e latir guardando seu território. Viveiro de periquitos, gaiolas variadas, coelhos e galináceos animavam o local, tudo à sombra do enorme flamboyant.

    A diversidade de plantas era grande: variadas flores, samambaias, canteiro de ervas e couves e também algumas frutíferas coloriam e perfumavam na sua constante sazonalidade.

    Dava muito trabalho: tratar, varrer, podar e lavar. Mangueira na mão já virou diversão, esguichando aqui e ali a água corria adubada pro canto do muro.

    Meu pai adorava mamão, comia até as sementes.

    Plantados estrategicamente ali onde a água depositava o adubo, alguns mamoeiros produziam sem parar, menos o macho que só polinizava. E não faltava abelha na florada.

    Empilhados no longo caule os frutos eram apanhados conforme a receita exigia: verdes, de vez ou maduros.

    Pro doce o verde era apanhado, riscado na ponta da faca sangrava a noite toda; “cuidado filhinho, o leite te queima a mão”.

    Lavado e ralado grosso dessorava na água com sal pra desamargar lentamente. Enquanto isso o tacho de cobre era esfregado com sal e limão pra tirar o zinabre.

    Já no fogo recebia muito açúcar e o mamão já lavado.

    Lentamente o doce era mexido, a calda engrossava, o fruto amolecia, mas continuava verdinho por causa do cobre.

    O adocicado “bouquet” do doce de mamão tomava conta da casa.

    Eu adorava comer assim:

    Depois de gelado, pegava uma bela colherada de doce e ia comer devagarinho, sentado no quintal observando a natureza, um universo bem ali no fundo da casa.


    + Lembranças:

    Torta de Banana

    IMG_5072 - Batata Gratinada

     


    Apoio:


     

    Conheça a Escola de Gastronomia do Chef Taico na internet: www.escoladocheftaico.com

    Acesse centenas de outras receitas no Blog do Chef Taico, todas com vídeo demonstrando o preparo + a receita escrita, clique aqui:

    Inscreva-se no nosso canal do youtube, e receba todas as novas receitas – clique aqui:

    Leave a Reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Banner Livros Digitais